Ecos do Museu

O melhor da entrevista do JJ para mim, foi o facto de ter sido realizada numa área do futuro museu do Benfica.

Vou lendo aqui e ali, alguns ecos do que foi dito, sinceramente ainda não ganhei coragem para ouvir (o que irei fazer) a entrevista, pois o que vou lendo parece-me tão mau, que até tenho receio de que depois de ouvir a ache ainda pior.

Não percebo como é que se permite que a entrevista seja dada pelo treinador que terminou a época da forma como terminou.

Um treinador contestado por uma grande maioria (eu incluo-me nesse lote), entrevistado por um Vice-Presidente, que, ao que parece, lhe fez as perguntas que os Benfiquistas queriam ver respondidas. O problema são as respostas.

Não percebo como é que se consente que o treinador fale de jogadores importantes para o clube, dizendo que com um, basicamente já não conta porque vai sair, o outro basicamente não conta, porque ele não quer. E no caso do Cardozo, a falta de tacto ainda é maior, pois é um assunto que deveria ser resolvido entre as parte, no local apropriados e como adultos, mas parece que não é assim que se vai resolver.

No caso do Matic, fica-se sem perceber se era uma boca para a direcção, se já é uma desculpa para o que possa acontecer.

Ainda não sei o porquê de terem feito esta entrevista, mas fico com a sensação (ainda sem a ver), de que apenas serviu para acentuar a descrença no JJ, de quem a tinha e de criar alguma em que ainda não a tinha.

Depois de ver a entrevista corrigirei ou adicionarei algum comentário.

 

Após ouvir a entrevista:

Não vejo motivos para alterar o que já disse. Percebo o contexto do que foi dito, mas há coisas que não fazem sentido ser ditas. Se ele já sabe, e o diz publicamente, que é quase impossível contar com o Matic, então o Matic não deverá ser a aposta do treinador na pré-época. Caso contrário, todos nós iremos achar que é uma perda de tempo, não estar a apostar no  seu substituto.

Em relação ao Cardozo, não retiro nada do que disse. Não deveria ter, sequer, opinado sobre o comportamento do Cardozo, publicamente. Poderia falar sobre o que ajudou a potenciar no Cardozo e ponto final. Tudo o resto deveria ter ficado dentro do balneário e do clube. Isto coloca o Cardozo numa situação, em que quase não tem hipótese de se desculpar pelo ato que teve. E até parece que estamos a falar de um criminoso. Uma atitude irreflectida por parte do Cardozo, que poderia muito bem ser resolvida por pessoas adultas, que saibam perdoar algum comportamento menos próprio em determinada altura e com um castigo ao jogador, que servisse de exemplo. Expor o jogador desta forma, poderá levar a que o jogador exponha, da mesma forma, comportamentos do treinador, que se calhar as pessoas também achem falta de respeito.

 

O JJ não detém o dom da palavra, isso é certo, e os responsáveis pela exposição do JJ a este tipo de escrutino público, é da responsabilidade dos patrões dele. Isto para dizer que na entrevista, o JJ conseguiu anunciar a contratação do Lisandro, antes desta ser oficial, como basicamente deu a entender que o Steven Vitória, foi contratado por ser português e que as suas hipóteses, serão as mesmas que o Miguel Vitor teve. Espero estar enganado.

Para o José Eduardo Moniz… é pá, acho que era desnecessário o momento “Daniel Oliveira”, mas isso é só a minha opinião.

Anúncios

Etiquetas:, , ,

5 responses to “Ecos do Museu”

  1. Anonimo says :

    A pergunta que é obrigatória é porque é que raio tens tanta opinião sem ter visto a entrevista? A net está cheia de “marias-vai-com-as-outras”, mesmo.
    Ao menos vê primeiro a entrevista antes de te “parecer” tanta coisa…
    Opinião de quem viu a entrevista: boa entrevista.

    • F1 says :

      Eu tenho um “raio de tanta opinião” porque isso é inerente ao ser humano. Aliás, acabaste de deixar aqui uma, sobre o que escrevi e ao que pareces não leste o artigo todo, por isso é justo perguntar-te porque raio opinas e não lês o artigo até ao fim.
      “Depois de ver a entrevista corrigirei ou adicionarei algum comentário.”

      O que eu vi foram citações idênticas em mais do que um local e todas elas, sem excepção convergem no mesmo sentido.
      Eu vou ver a entrevista, mas conhecendo como já conheço a personagem, existe uma enorme possibilidade de ainda ser pior do que o que “me pareceu”.

  2. garcias says :

    é melhor veres pq alguns benfiquistas foram buscar frases soltas para dar 1 significado diferente ao que ele disse
    por exemplo se ele dissesse: ” eu não sou o maior” os “benfiquistas” por estes blogues fora tiravam o não e ficavam com qq coisa como “eu sou o maior”
    “BENFIQUISTAS” these days!!!

    • F1 says :

      Acredito no que dizes, aliás, eu não tiro opiniões do que os outros dizem, mas sim sobre os factos. E o que eu vi foram vários factos repetidos em canais distintos, todos da mesma forma. A partir daí formulei uma opinião.
      Terminei dizendo que depois de ver a entrevista corrigirei ou adicionarei mais algum comentário.

  3. hertz says :

    É bom mesmo que vejas a entrevista e não te fies em muito do que está escrito por essa blogosfera. O que mais se vê por aí a frases tiradas do contexto, distorção das declarações do JJ e mesmo algumas mentiras.

Opina para aí...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: