Voleibol – a podridão do desporto

Antes de mais, quero mais uma vez frisar que sou TOTALMENTE CONTRA campeonatos definidos em Play off em Portugal.

O nosso campeonato regular já é nacional, por isso não há necessidade nem sequer justificação para se fazer um play off, ou final. É completamente absurdo. Seja o Benfica beneficiado ou prejudicado por essa situação.

Neste caso, o Benfica há 4 anos que é vencedor indiscutível da fase regular, onde dá o tudo por tudo, e depois chega à dita final e por este ou outro pormenor perde um campeonato que dominou de início ao fim.

Posto isto, no passado sábado, assistiu-se à verdadeira podridão no desporto. Já nem sequer vou entrar pelo campo dos rumores que indicam que o Sporting de Espinho tem vários meses de salários em atraso, o que só por si demonstra uma situação de desigualdade para com todas as restantes que cumprem com os seus funcionários (e depois alegam diferenças de orçamentos, compreendo perfeitamente).

O que se assistiu nos últimos pontos do 5 set foi vergonhoso. O Benfica foi duplamente prejudicado pelas pessoas que estavam na mesa.

O resultado encontrava-se em 13-13, e após o ponto do Espinho foi preciso o Benfica reclamar junto da mesa que havia erro na formação do Espinho. Para começar, esta falta deveria ter sido prontamente assinalada pela mesa, que simplesmente ignorou o facto. Ao que parece, entrou um jogador em campo, sem que a substituição tivesse sido realizada, penso que foi esta a falta. Falta essa, que nem sequer é contestada no comunicado do Espinho, pelo que se verifica que o erro foi admitido.

Gera-se a confusão natural nesta situação e a equipa de arbitragem repõe a justiça retirando o ponto ao Espinho e atribuindo-o ao Benfica e dando o serviço ao Benfica. E é aqui que a podridão aparece. O Benfica, na pessoa do seu capitão Hugo Gaspar, perguntou mais do que uma vez à mesa que confirmasse a formação da equipa, uma vez que o jogador indicado para servir não deveria ter sido o Vinhedo. De todas as vezes a mesa respondeu que deveria ser o Vinhedo a servir. O Benfica ganha o campeonato nesse serviço e o Espinho protesta o serviço por erro na formação.

Agora vem o Espinho alegar que o jogo deveria ter sido retomado com 14-14 e que esperou em campo. Que foi o Benfica que não quis regressar ao jogo.

Não faço ideia do que se passou posteriormente ao último serviço, o que eu sei é que os responsáveis da mesa do jogo, ROUBARAM o Benfica de todas as formas e feitios.

Primeiro ao não assinalar uma falta de formação do Espinho que deveria ter sido assinalada pela mesma e depois ao dar a indicação errada da formação ao Benfica. Não é o caso dos jogadores do Benfica não saberem qual era a formação, mas sim porque a indicação da mesa foi a ERRADA. Se o Benfica colocasse outra formação, a mesa iria assinalar falta e dar ponto ao Espinho, os jogadores do Benfica limitaram-se a cumprir as indicações da mesa. E o Espinho reclama agora falta e ponto para si próprio? Isto é a podridão no desporto nacional.

Já não é a primeira vez que o Benfica é vilipendiado em jogos com o Espinho, num dos jogos os responsáveis da mesa (não sei se são os mesmos), atribuíram um ponto inexistente ao Espinho, que fez com que os mesmos ganhassem um set com apenas 24 pontos. Nessa altura o jogo foi repetido, agora vamos ver o que vai acontecer.

O que eu sei é que o último serviço do Benfica neste último jogo, estava condenado a acabar mal: ou o Benfica ignorava a indicação da mesa e colocava a formação correcta e ia sofrer falta por má formação ou então seguia a indicação da mesa, que foi o que aconteceu, e terminaria conforme terminou.

Simplesmente vergonhoso.

Anúncios

Etiquetas:, , ,

2 responses to “Voleibol – a podridão do desporto”

  1. abidos says :

    Não foi uma substituição mal feita pelo Espinho:
    No Serviço anterior do Espinho, tinha sido o Miguel Maia a servir, de seguida devia ter sido o Flávio. Mas o Espinho ‘saltou’ um jogador, passou para o Mosquera, que foi substituído pelo Jonathan (estratégia que foi repetida durante todo o jogo).
    Pessoalmente acho que eles se ‘enganaram’ de propósito, pois o Flávio que tinha servido muito bem no 2.º e 3,º Set estava bastante cansado, e nos últimos serviços não tinha sido eficaz, e como a formação do Espinho com o Jonathan no Serviço, foi bastante produtiva durante o jogo, sendo especialmente eficaz em situações de contra-ataque, eles tentaram ‘enganar’ os árbitros!!!
    E se não fosse o técnico de estatística do Benfica, a ‘coisa’ tinha passado!!!

    Abraços

    • F1 says :

      Exacto. A falta é que já não tenho a certeza de qual foi, até porque mesmo na Benfica TV não conseguiam perceber ao certo o que se tinha passado.
      Quanto ao facto de ser de propósito, disso não tenho quase dúvidas nenhumas, assim como não tenho dúvidas da actuação dos elementos da mesa. Que foi de propósito sem qualquer dúvida.

      Numa situação daquelas exigia-se que os elementos da mesa revissem as formações. O Gaspar fez o que lhe competia, que era pedir a formação à mesa, a mesa deu a formação errada, quanto a mim, de propósito.

      Abraços

Opina para aí...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: